Cúrcuma no tratamento do câncer

O mito do açúcar

 

Cris. Paixão

A primeira coisa que uma pessoa aprende quando começa a buscar as soluções para o câncer é esta: cortar todo açúcar.  O açúcar é o alimento do câncer e a primeira medida para iniciar o tratamento é eliminar sua ingestão.

Esta é a primeira coisa que recomendo aos meus pacientes com câncer.

Esta é, sem dúvida, a primeira coisa a fazer. Mas atenção… será que todo açúcar é ruim?

 

Você sabe o que é o açúcar?

Os açúcares mais conhecidos são o branco, o demerara, o mascavo. E tem o mel, melado e os adoçantes químicos. Mas se formos falar dos tipos de açúcar acrescentados aos alimentos, há cerca de 25 tipos diferentes.

Quer dizer, mesmo quando uma pessoa corta o açúcar refinado, se continuar a comer produtos industrializados, continuará a ingerir açúcar mesmo sem saber. Ele está nos refrigerantes, cereais, massas, pães, sobremesas e alimentos embalados, como catchup e temperos de salada.

Do ponto de vista químico, o açúcar é conhecido como sacarose, frutose, maltose, dextrose ou glicose. Vamos entender:

  • a sacarose vem principalmente de beterrabas e cana-de-açúcar.

  • a maltose é encontrada em alimentos amiláceos (fontes de amido) cozidos, como batatas ou milho

  • a dextrose é feita de milho e é encontrada frequentemente em alimentos processados;

  • a glicose é o açúcar que circula no sangue;

  • a frutose está em frutas e adoçantes, em especial no xarope de milho.

 

E agora chegamos ao ponto central da nossa questão de hoje: a frutose. Uma das perguntas que mais me chegam e que é, na realidade, um enorme ponto de divergência entre diversos protocolos contra o câncer é: Devo eliminar as frutas (e carboidratos)?

Há uma enorme diferença entre consumir a frutose encontrada nas frutas e aquela que está presente nos adoçantes com xarope de milho. E a principal delas é a presença dos nutrientes das frutas. As frutas possuem fibras e antioxidantes, enquanto sorvetes, doces e refrigerantes são totalmente destituídos de nutrientes.

Os nutrientes das frutas equilibram a absorção de frutose dentro do corpo e produzem um aumento mínimo de açúcar no sangue. As fibras moderam a taxa de absorção e o açúcar não é lançado de uma só vez no sangue.

A frutose dos adoçantes é absorvida muito rapidamente, aumentando o nível de açúcar no sangue e causando sérios danos ao corpo, mesmo que você não tenha câncer. E se você tiver câncer, ele vai se banquetear com os altos níveis de açúcar na corrente sanguínea.

 

Então qual é a resposta?

Devo eliminar as frutas (e carboidratos)?

Não. Não elimine frutas da sua alimentação. Elas são extremamente importantes no processo de fortalecimento do seu sistema imunológico. Elimine todo açúcar não natural – aquele dos alimentos processados.

Resumindo: açúcares refinados fazem mal; os açúcares encontrados nas frutas, não.

Mas há um limite à quantidade de frutas que podemos comer?

Um estudo publicado pela revista Metabolism demonstrou que sujeitos podiam chegar a consumir até 20 porções de frutas por dia sem qualquer efeito negativo no peso, colesterol ou pressão sanguínea.

Resposta: não há limite. A frutose de alimentos naturais e integrais melhora o modo como o corpo controla o açúcar sanguíneo.

Então, vá em frente… deleite-se… e coma o arco-íris

As propriedades anticâncer das frutas e vegetais não pode ser igualável por nenhum outro alimento, suplemento ou tratamento. Elas estão repletas de fibras, vitaminas e minerais e também de agentes que combatem o câncer, como os antioxidantes e fitoquímicos.

A natureza é sábia e maravilhosa. Alimente-se da forma mais natural possível: alimentos “de verdade”, integrais, orgânicos, variados e com o máximo de variação de cores.

Não se preocupe com o açúcar das frutas e vegetais (como cenouras e beterrabas). Vá em frente e coma! Seu corpo só vai agradecer.

Referências:

“Effect of fruit restriction on glycemic control in patients with type 2 diabetes–a randomized trial.” By Christensen A.S. et al. Nutr J. 2013 Mar 5;12:29. doi: 10.1186/1475-2891-12-29.
“Effect of a very-high-fiber vegetable, fruit, and nut diet on serum lipids and colonic function.” By Jenkins, D.J. et al. Metabolism. 2001 Apr; 50(4):494-503.
3 “Do fruit and vegetables help prevent cancer?” Cancer Council of New South Wales, Australia.
4 “Everything You Ever Wanted to Know About Sugar.” By Dawn Gifford, Small Footprint Family.
5 “If fructose is bad, what about fruit?” By Dr. Michael Greger, NutritionFacts.org, December 2014.
6 “Is It Possible to Eat Too Much Fruit?”
7 “Is Sugar From Fruit Better For You Than White Sugar?” By YouBeauty.com for Huffington Post, 31 July 2013.

8 “Sugar.” Wikipedia.

 

Movitation
Chá Essiac
A Terapia Gerson
Reconectando-nos ao nosso poder
O lucrativo mercado do câncer
Alimentos que causam câncer
Mostrar Mais
Atendimento individual ou
familiar
Aviso legal
 

O conteúdo deste site é baseado em pesquisas realizadas pelos autores, salvo indicação em contrário. As informações apresentadas aqui têm caráter educacional e não se destina a diagnosticar ou prescrever para qualquer condição médica nem para prevenir, tratar, mitigar ou curar tais condições. As informações contidas neste site não se destinam a substituir um relacionamento individual com um médico ou profissional de saúde qualificado. Portanto, estas informações não pretendem ser um conselho médico, mas, sim, uma partilha de conhecimentos e informações com base em pesquisas e experiências. Os leitores, sejam eles pacientes, familiares ou pessoas interessadas em prevenção, devem tomar suas próprias decisões com relação à sua saúde, com base em seu julgamento e pesquisas em parceria com um profissional de saúde qualificado. Os autores estão qualificadas a dar orientações psicológicas e nutricionais.

 
Observação
 

O conteúdo deste site é baseado em pesquisas realizadas pelos autores, salvo indicação em contrário. As informações apresentadas aqui têm caráter educacional e não se destinam a diagnosticar ou prescrever para qualquer condição médica nem para prevenir, tratar, mitigar ou curar tais condições. As informações contidas neste site não se destinam a substituir um relacionamento individual com um médico ou profissional de saúde qualificado. Portanto, estas informações não pretendem ser um conselho médico, mas, sim, uma partilha de conhecimentos e informações com base em pesquisas e experiências. Os leitores, sejam eles pacientes, familiares ou pessoas interessadas em prevenção, devem tomar suas próprias decisões com relação à sua saúde, com base em seu julgamento e pesquisas em parceria com um profissional de saúde qualificado. Os autores estão qualificados a dar orientações psicológicas e nutricionais.